Diário de emagrecimento: sexta semana

Posso falar que já fazem seis semanas que a minha alimentação mudou e eu me sinto uma pessoa muito melhor? Tirando o cansaço do meu dia-a-dia, o resto tá tudo mara!!! Juro que achava que era bobagem, mas gente, o nosso remédio é o ALIMENTO! Fico muito feliz em dizer isso porque eu acredito muito nisso e quem entende ele, sabe o quanto ele é poderoso e pode nos dar mais qualidade de vida, disposição e claro, MUUUUITA saúde 😀
Bom, hoje vamos falar de um vilão que até pouco tempo eu não ficava sem: o REFRIGERANTE! Sim, ele é viciante e quem diz que não engana a si próprio pois as propriedades dele tem como função nos “prender” e fazer com que a gente queira consumi-lo cada vez mais! Vamos combinar que pizza, cachorro quente e hambúrguer super combinam com um copo de refrigerante bem gelado, né? Mas vocês sabem quais são os reais componentes e perigos do consumo de refrigerante DIARIAMENTE? Olhem só:
refrigerante(1)– Água: são realizados tratamentos diversos para garantir a qualidade da água a ser utilizada, incluindo sua baixa alcalinidade e concentração aceitável de íons, bem como padrões microbiológicos adequados
– Açúcar: o sabor adocicado da grande maioria dos refrigerantes se deve a uma adição de açúcar, a qual gira em torno de 10% em relação à massa total do produto. Além disso, traz boa parte das calorias encontradas no refrigerante por meio da molécula da sacarose, o açúcar normalmente utilizado
– Xarope: é o produto que concentra as características organolépticas do refrigerante (sabor, odor e coloração). Geralmente são óleos essenciais obtidos de frutos ou ervas
– Acidulantes: reduzem o pH da bebida (variando de 2 a 4), ou seja, a torna mais ácida. Entretanto, realçar o sabor do refrigerante é também um importante critério de escolha do acidulante
– Antioxidantes: vários componentes do refrigerante são suscetíveis à oxidação, como ésteres e aldeídos presentes nos óleos essenciais, tornando-se necessário a inserção de componentes químicos responsáveis pela antioxidação, como o ácido ascórbico
– Conservantes: são compostos que inibem o desenvolvimento de microrganismos capazes de alterar características básicas do refrigerante. Geralmente os ácidos benzóico e sórbico são utilizados para essa finalidade
– Edulcorantes: em bebidas de baixo teor calórico, são utilizados compostos químicos conhecidos como edulcorantes em substituição à sacarose, mantendo todas as suas propriedades inalteradas, com exceção de sua dosagem de açúcar
– Gás carbônico: a gaseificação do refrigerante é promovida pela adição de CO2, o qual realça o paladar e melhora a aparência da bebida
Esses são apenas ALGUNS dos componentes que encontramos nos refrigerantes e como já comentei nos outros diários, TUDO tem um equilíbrio e eu não tô dizendo para ninguém nunca mais consumir refrigerante, mas sim dosar a quantidade e deixar para consumi-lo apenas um dia em uma refeição e não fazer disso um hábito diário!
E o que ele causa no nosso organismo ao longo do tempo quando o consumo é diário é assustador, acreditem!

 

Refrigerantes - Blog Santa-cruzense (Coluna Nutrição) (2)

{As fontes das informações contidas neste post foram tiradas daqui e daqui}
E onde eu me encaixo em tudo isso? Bom, eu era uma viciada em refri, naquelas que embora não consumisse em casa, quando tava na rua se acabava… mas isso de fato acabou há seis semanas quando comecei a minha reeducação alimentar 😀 no começo foi muito difícil, eu dava um dedinho por um copo de refrigerante bem gelado, mas hoje não faz falta na minha rotina e também não pretendo voltar a consumir pois eu sei dos riscos e já que não tem feito falta, vamos deixar assim, né? rs
Por hoje é isso! Espero que tenham gostado de mais um diário e aproveitem o feriado sem refrigerante, ok? kkkkk

 

FINALIZA-C3-87-C3-83O

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta